terça-feira, 14 de dezembro de 2010

A doninha

Estive tão a 200% esta semana e este fim-de-semana que nem consegui reagir ao final anunciado dos Da Weasel.

Sempre os adorei e segui. Apesar dos escárnios e maldizeres. E, como praticamente todos nós, vi-os ao vivo várias vezes. E emocionei-me por diversos momentos. Claro que nos últimos anos foram perdendo algum crédito com musiquinhas-de-tocar-na-rádio e singles de Verão daqueles irritantes. Mas há poemas e ritmos que me marcaram muito ao longo destes 17 anos, embora eu só tenha começado a ouvi-los em 1998, pra aí. Tenho quase todos os albúns, desde o 3º Capítulo de 1997. Adorei O Manual, o concerto com a Orquestra Sinfónica, as parcerias com Gabriel o Pensador, Sérgio Godinho, Xutos e Pontapés, Gaiteiros de Lisboa, os Buraka Som Sistema ou mesmo os Gato Fedorento...

Para quem não gosta ou, basicamente, nunca se deu ao trabalho de ouvir, aqui ficam as minhas preferidas da Doninha. Há muitas mais. Mas eu gosto destas (até porque há outras que não consigo encontrar no youtube como o Cachimbo da Paz).
Apreciem. São «pedaços de arte». Obrigada Doninha.

Pedaço de Arte
Toda a Gente
O Serviço
(No princípio Era) O Verbo
Agora e Para Sempre (A Paixão)
Carrossel
Casa (vem fazer de conta)
Revolução
A Palavra (Tema para Sasseti) (a melhor de sempre, talvez) 
Mundos Mudos
Dialectos de Ternura feat Buraka Som Sistema

1 comentário:

MANUELA MARQUES disse...

o panorama musical portugues ficou realmente mais pobre... era sempre um grande espectaculo ve-los ao vivo :)
so long!