quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Aquelas injecções...

Não é um título nada bonito, pois não... Mas "injecção" foi mesmo a palavra-chave dos meus últimos três dias. Estive doente. De cama mesmo. Com uma amigdalite daquelas que não me deixava comer, não me deixava falar e mal me deixava dormir. Deu à vida na segunda-feira (achava eu que no domingo estava cansada das saídas mas não, estava mesmo a chocá-la...).

Vim trabalhar mas antes da hora de almoço já estava a caminho de casa com tremores frios e suores que mal me deixavam respirar. Cama, chá e a meio da tarde o termómetro acusava 39ºC... Bonito. Fui às urgências à noite (só demorou duas horas, nada mal...) e assim que a médica olhou para a minha garganta, naquela fracção de segundo antes de eu explodir num ataque de tosse, perguntou muito rápido: «não é alérgica à penicilina, pois não?» E não, não sou. Mas nunca tinha levado daquilo...

Ora o estado da amigdalite era tal que a médica "encomendou-me" logo três injecções daquelas... Uma deram-me logo nas urgências, na segunda-feira, outra para terça e outra para quarta. E assim foi. A amigdalite desapareceu por magia, é certo. Acho que com um antibiótico ia demorar pelo menos uma semana inteira. O que ficaram foram as dores de cabeça... E "de lombo"! Que aquilo é dado na parte de cima das nádegas, logo abaixo da coluna...

O enfermeiro que me deu a 2ª injecção dizia-me: «Sabe que esta é a pior injecção de todas, não sabe? E a mais chata de dar... Eu não gosto nada, sou-lhe sincero...». Que bom que é ouvir isto quando se está cheia de dores de tudo e mais alguma coisa, com a cabeça em cacos, deitada de barriga pra baixo numa maca à espera de sentir a dita picada no dito local... É que ninguém merece! 

Depois ainda me contou que a penicilina, se deixada "ao ar", fica tipo pedra... E que é por isso que as dores da injecção duram até 2 ou 3 dias depois. Porque o líquido pode ou não conseguir espalhar-se uniformemente de forma rápida, dependendo da circulação sanguínea (e do jeitinho do enfermeiro, digo eu).

Enfim. Injecções e enfermeiros piegas à parte, sempre que tenho de ficar em casa por estar doente fico com um humor de cão e neura que ninguém me atura. Não tenho mesmo vida nem feitio para isto! Por isso hoje estou de volta ao trabalho, mesmo com dores de cabeça (ainda!) e dores "de lombo"!

2 comentários:

Juanna disse...

Uffff sou alérgica à penicilina, menos mal lolol
A minha filha não é e há uns anos teve de levar uma injecção no rabo. Tinha 3 anos, coitada, chorou ela e eu ainda mais.

RO disse...

Pois são mazinhas sim... Andei 3 meses a levar de 2 em 2 dias, alternando a nágueda... Tinha 6 anos, as amigdalites crónicas não passavam nem por nada e fiz operação. Ainda bem até hj quase nunca fico doente! Mas a memória das ditas injecções ainda hoje perdura, 30 anos depois. Se algum médico me fala de injecções pergunto sempre se tem mesmo de ser...