domingo, 27 de novembro de 2011

14 horas por dia

É o que trabalho neste momento. Sempre. Todos os dias. Como jornalista freelancer e lojista part-time. Sem feriados nem fins-de-semana decentes. Queixo-me mas não devo. Sou assim. Quando me vejo desempregada "disparo" em todas as direcções. Ficar sem fazer nada não é sequer opção. E quem semeia colhe. Agora caiu tudo ao mesmo tempo, tenho tudo para fazer para "ontem" e mal consigo respirar. Sem contar que a vida social está em péssimo estado, bem como os meus olhos e as minhas costas.

Mas hoje estou animada. Tenho dois dias de folga da loja e posso dedicar-me só à escrita hoje e amanhã. À escrita e às unhas! Sim, às unhas... Porque folga da loja é sinónimo de poder pintar as unhas outra vez sendo que vão ser arruinadas logo no primeiro dia de regresso às calças, aos cabides e aos sapatos... Dois dias de folga da loja significa conseguir ter as unhas pintadas sem estragos durante três dias. E isso anima-me!

Planos para este maravilhoso domingo de sol?

3 comentários:

Ana Campos disse...

E pintas em casa? Queria ir arranjar as unhas, pintar e tal, mas não quero nada que tenha a ver com gel, ou gelinho... Dicas?

Ah e não caí de paraquedas, sou leitora assidua =P gosto muito *

ACA disse...

Cara Ana Campos, pinto em casa sim... Limo, corto e pinto. Mais nada! Estragam-se tão depressa que acho um despedício de dinheiro fazer manicure... Mas qualquer cabeleireiro faz sem ser gel e afins!

Ana Campos disse...

Eu tambem costumo fazer tudo em casa, mas não parece que fique a mesma coisa...falta de jeito acho eu!
Vou me dedicar á procura de um bom sitio, e baratinho!
Muito obrigada pela resposta *