quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Black Swan ♥

Ontem vi, finalmente, o Cisne Negro com a Natalie Portman.
E amei. Estou ansiosa por vê-lo de novo porque sinto que vai valer a pena reparar em certos pormenores.




Adoro a Natalie, principalmente desde o Closer, mas neste papel foi-lhe possível encarnar tudo aquilo que se pede a uma actriz de excelência. Se não ganhar o Óscar, não sei quem ganhará! Incrível.

Não é um filme fácil, como costumo dizer. E ainda bem. É complexo, duro, inesperado, "estranho" como alguns dizem, forte e arrepiante por vezes. É psicologicamente profundo mas igualmente belo e humano. Deixa coisas por explicar. E ainda bem. A produção e a pós-produção são excelentes. Planos lindos. Movimentação da câmara perfeita! E banda sonora com a respectiva sonoplastia constroem 50% das emoções do filme. Vale a pena ver no cinema ou com um bom sistema de som em casa! Acredito que faz toda a diferença. Os passos, a respiração, os olhares, a imponência da banda sonora... O figurino é perfeito. Maravilhoso, aliás! Não vou esquecer tão cedo o vestido branco que ela usa no cocktail de apresentação. Soberbo! Mas não encontrei uma única imagem!

Não vou falar da história. Não quero fazê-lo. Toca em tantos tópicos mais ou menos controversos que não é aí que está a essência. Apenas vos digo que ela não pede menos do que ser Perfeita. E vai sê-lo, sim. Custe o que custar.
Tão perfeita de tão real... 

Opiniões?

3 comentários:

Joana disse...

Eu simplesmente adorei e concordo plenamente quando dizes que é um filme difícil e que exige entrega de quem vê. E é isso que talvez esteja a influenciar muita opinião, porque não é uma fita daquelas para descontrair, nem tão pouco do género pipoca... implica muito de nós, espectadores. Fui vê-lo no cinema e tenho a certeza que será bem diferente de o ver em casa, ganha muito com a força do som e da imagem da sala. A conjugação de todos os elementos do filme é praticamente perfeita e tornam-no numa obra de arte. Eu gostei, como há muito não gostava de um filme. E apesar de não concordar, compreendo o porquê de muitos não gostarem e serem demasiado exagerados nas suas críticas negativas.

Joana
verde-vermelho.blogspot.com

As Conversas da Sopa disse...

Eu ainda não vi, mas estou mortinha por ver!!

mariana costa veludo disse...

A dor é temporária, o orgulho eterno. Acho que resume, mais ou menos o filme, para quem o viu.
Emocionante, arrepiante, controverso, intrigante e tantos mais adjectivos surgem para o descrever. Vale a pena ver, vale a pena reparar em cada pormenor, vale uma entrega total da parte de quem assiste.
Se Natalie não ganhar o melhor filme quem ganhará ? Ela foi perfeita, perfeita tal como Nina... ou melhor mais ou menos como Nina !